Pular para o conteúdo principal

A importância da transparência na prestação de contas do condomínio

Síndico e conselho fiscal devem atuar juntos durante os meses que antecedem a prestação de contas.

Sempre que falarmos em prestação de contas devemos entender que se trata da verba proveniente de terceiros cuja utilização precisa ser justificada. O condomínio funciona como um município, já que é preciso arrecadar dinheiro todo mês para se manter durante o ano. Nesse sentido, a prestação de contas deve esclarecer todos os gastos que o condomínio teve em um determinado período.

Na prática deveria ser fácil, mas não é o que acontece. Muitos gestores despreparados trazem problemas aos condôminos e na hora de prestar contas é um Deus nos acuda. Isso acontece, na maioria das vezes, por falta de planejamento.

É durante a Assembleia Geral Ordinária (AGO) que acontece a prestação de contas, geralmente no primeiro trimestre do ano. Nesse dia, o condômino deve procurar saber nos detalhes sobre como foi gasto o seu dinheiro e como anda a saúde financeira do condomínio. Alguns itens devem ser observados e caso haja dúvidas, não hesite em questionar o síndico.   
  1. Pergunte sobre os métodos que foram utilizados para administrar os recursos. O síndico precisa ser eficiente tanto com as receitas quanto com as despesas
  2. Na apresentação, cobre do síndico uma linguagem simples e uma comunicação eficiente. Mostre que todos devem entender a mensagem, com isso a reunião prosseguirá menos tumultuada e mais dinâmica
  3. Os documentos que comprovam os gastos devem ser organizados em pasta e de fácil acesso
  4. Exija organização
  5. Tenha muita atenção com as contribuições para o INSS, FGTS e Receita Federal. É comum o surgimento de rombos milionários dessa natureza
  6. Espere o detalhamento das receitas e das despesas. Se não acontecer, cobre-o 
  7. Cobre também o Conselho Fiscal do condomínio. É dele o dever de examinar mensalmente as pastas de prestação de contas.
  8. Dê atenção aos orçamentos dos serviços contratados. Peça também os orçamentos que não foram aceitos para compará-los. Um bom síndico guarda todos os documentos para os apresentar na AGO.
  9. Caso seja necessário solicite os critérios de avaliação que levaram à contratação dos serviços
  10. As dúvidas devem ser respondidas com clareza e com argumentos convincentes 
  11. Peça os documentos originais caso estejam faltando
  12. As pastas de prestação de contas devem conter os demonstrativos com as receitas e despesas devidamente organizadas e em ordem cronológica
  13. O balanço contábil deve minuciar as despesas fixas e variáveis
  14. Fiquem atentos às receitas
  15. Para os condomínios cuja sua área comercial esteja devidamente alugada, certifiquem-se que os valores tenham sido recolhidos de forma correta. É responsabilidade do síndico garantir que o condomínio não sofra prejuízos
  16. Peça ao síndico o esclarecimento sobre o índice de inadimplência, o custo que ela trouxe para o período e as medidas que o condomínio está tomando para reaver o prejuízo 
  17. As pastas devem permanecer sob os cuidados do síndico e estarem sempre à disposição do condômino para eventuais consultas 
  18. Não aprove as contas caso seja identificada alguma irregularidade. O Conselho Fiscal deverá auditar as contas e exigir sua regularização. Uma nova assembleia deverá ser convocada para que prossiga a prestação de contas.

Dica de ouro para os condôminos

É bom que todos saibam que o objetivo da assembleia é aprovar as contas do condomínio. Caso isso não aconteça, o condomínio poderá então contratar uma auditoria externa para verificar possíveis irregularidades do síndico.

O ideal é que o conselho fiscal examine as pastas mensalmente e que essa auditoria, se possível, seja contratada desde o início para proteger as finanças do condomínio. Caso o conselho fiscal não atue com vigor, qualquer morador tem o direito de verificar a situação das contas do condomínio.

O custo da auditoria é baixo e os benefícios são inúmeros. Em virtude do acompanhamento mensal, a prestação de contas será mais ágil e menos demorada. O serviço também garante segurança ao condômino, valorizando o empreendimento e evitando que problemas graves aconteçam ao longo do tempo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os 3 pilares para um condomínio seguro

Chave para manter um condomínio seguro: possuir tecnologia suficiente, funcionários preparados e moradores conscientes.
Normalmente o que leva uma pessoa a desejar morar em um condomínio é a questão da segurança. Essa percepção é válida, já que a grande maioria dos condomínios possuem um sistema de segurança 24h que garante uma sensação de proteção aos moradores. 
Mas, o que é necessário para que o condomínio tenha um sistema de segurança confiável e que de fato funcione? Existem três pilares que são fundamentais no combate às ameaças externas e internas e todo especialista em segurança condominial deve estar atento aos detalhes.
Segurança Física A tecnologia é uma grande aliada dos condomínios e, se bem utilizada, garante uma ótima segurança aos moradores e a todos que frequentam o empreendimento. Os equipamentos de prevenção a furtos e roubos são diversos tais como o monitoramento por Circuito Fechado de Televisão (CFTV), cerca elétrica, portão automático, biometria, sensores de pre…

Corrupção em Condomínio: como combatê-la?

Não seja omisso, fiscalize!

A corrupção é um problema polêmico e comum nos condomínios da cidade, mas, alternativas para combatê-la estão surgindo. A nova legislação e a evolução da categoria são fatores que fazem com que os corruptos percam espaço. O síndico deixou de ser morador e se profissionalizou, exigindo obrigações e responsabilidades que precisam ser assumidas pelo gestor. Hoje, o cuidado em zelar pelo patrimônio de terceiros deve ser maior, pois o responsável pelo condomínio responde civil e criminalmente por suas ações. 
Segundo o Artigo 1348 do Código Civil, compete ao síndico ”representar, ativa e passivamente, o condomínio, praticando, em juízo ou fora dele, os atos necessários à defesa dos direitos comuns”. O Código de Ética dos Profissionais de Administração (CEPA) é categórico ao dizer que, é dever do profissional exercer a profissão com zelo, diligência e honestidade.
Mesmo com todos os impasses, a corrupção ainda existe e o condômino precisa estar atento. O morador …